quarta-feira, 9 de março de 2011

Dúvidas sobre a Fé - Pergunta sobre o Jejum

Nome: Micheli

Religião: Católica

Cidade: Itapeva/SP

Dúvida - Em que consiste e como deve ser feito o jejum?

Primeiramente precisamos entender o que é a prática do jejum:

“São gestos externos que revelam a conversão interior.Não pode ser formalismo.É inútil abster-se de alimentos sem mudar a mentalidade e rejeitar o que nos afasta de Deus.Não é um desprezo do corpo,nem das realidades do mundo.O que é visível e material é necessário para o equilíbrio da vida.O principio fundamental do jejum não é o sofrimento em si mesmo,mas a dor transformada em amor.É o grão de trigo que morre para produzir muito fruto(cf.Jo12,24).Esta prática permite unificar o nosso ser e a nossa relação com as coisas criadas. A comida e a bebida simbolizam tudo o que envolve o ser humano.Abstê-las um pouco delas revela que não nos deixamos escravizar pelas coisas desse mundo. Jejuar é controlar-se,é esvaziar-se de si para dar espaço para Deus e para os valores que estão além do mundo visível. (Pe Leomar Antonio Brustolin,Revista Familia Cristã,ed Paulinas,pg 54.)”

“O conceito de jejum não exige que você passe fome. [...]Jejuar é refrear a nossa gula e disciplinar o nosso comer.(Monsenhor Jonas Abib)

A comida foi criada por Deus para sustentar a vida do ser humano e não para ser um mero objeto de prazer.

A idéia central do jejum é ir moldando nosso organismo a comer mais pela utilidade (manter o corpo são e nutrir nosso organismo) do que pelo prazer que é gerado ao ingerirmos o alimento, assim aprendemos a domar nossos instintos e a controlar os prazeres. Qualquer atitude centrada nesse fim pode ser entendido como um jejum, pois nos auxilia no combate à gula e conseqüentemente evita outros tipos de pecados e até de doenças físicas.

Na Bíblia, Jesus nos ensina sobre que atitude devemos tomar quando jejuamos:

“Quando jejuardes, não tomeis um ar triste como os hipócritas, que mostram um semblante abatido para manifestar aos homens que jejuam. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa. Quando jejuares, perfuma a tua cabeça e lava o teu rosto. Assim, não parecerá aos homens que jejuas, mas somente a teu Pai que está presente ao oculto; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á.(Mt 6,16-18)

O jejum deve ser feito conforme a piedade individual, o principal (mais do que a forma) é ter a idéia centrada na mortificação, cito abaixo algumas das formas:
  • Abster-se de uma alimentação principal, substituindo-se por uma refeição leve.
  • Privar-se de uma ou mais alimentações durante o dia.
  • Alimentar-se o dia todo somente de pão e água.
  • Levantar-se da mesa ainda com um pouco de fome.
"O jejum é mais do que uma mera abstinência de nutrição e alimentos. O jejum é um símbolo, um sinal, um chamado sério e estimulante à aceitação e renúncia. Que renúncia? Renúncia ao 'ego', isto é, aos caprichos e às aspirações nocivas; renúncia aos próprios defeitos, às paixões e desejos impetuosos. Jejuar é ser capaz de dizer NÃO, de modo claro e firme, a tudo o que é sugerido ou exigido pelo orgulho, pelo egoísmo e pelo vício. É ser capaz de escutar a própria consciência, de respeitar o bem alheio, de permanecer fiel à Sagrada Lei de Deus." (Papa João Paulo II).”

O jejum e a abstinência da carne são obrigatórios para todos os fiéis de 14 a 60 anos nos seguintes dias: Quarta-Feira de Cinzas e Sexta-Feira Santa.

Nesses dias de preceito, o que a Igreja exige, além da abstinência de carne, é o jejum mais brando (abster-se de uma alimentação principal, substituindo-se por uma refeição leve)

Também são obrigatórios (A abstinência, não o jejum) em todas as demais Sextas-Feiras do ano, podendo nessas, ser substituído por outro gesto de devoção pessoal (Terço, Via Sacra, etc).

Caso queira aprofundar e aprender um pouco mais sobre as práticas do jejum, segue abaixo alguns links sobre o assunto:

Práticas do Jejum

Jejum da Igreja

Dicas importantes sobre o jejum

Existe também o livro “Práticas do Jejum”, do Monsenhor Jonas Abib, que custa cerca de 4 reais apenas, e explica um pouco mais sobre o tema.

Mais importante que a forma de jejuar ou que a quantidade de alimentos ingeridos, está a reta intenção da conversão e a mortificação, tendo como meta sempre a busca da santidade.

Seu irmão em Cristo,


Everton do N. Siqueira.

Dúvidas sobre a Fé? Pergunte-nos aqui
Comentários

Compartilhe na Rede

Twitter Delicious Facebook Digg Favorites Stumbleupon More