quarta-feira, 9 de março de 2011

O Big Brother e a moral cristã

É de se estranhar que, num país de maioria cristã, se dê tanto ibope a um canal que propaga a Nova Era e o ocultismo, e que sempre distorce as notícias relativas à Igreja com o intuito de destruí-la e denegri-la.

É de se estranhar que, num país de maioria cristã, cujos ensinamentos são claros quanto a pornografia e a detração, milhares de pessoas fiquem a madrugada acordados, (enquanto o cônjuge dorme) para ver cenas de outras pessoas fazendo sexo ou falando mal da vida alheia.

Estranha-se também, a incoerência das pessoas que reclamam sempre do preço do arroz e do feijão, mas nunca deixam de ligar para “eliminar” aquele que não o agrada, e com isso geram uma receita média de R$ 10 milhões em apenas um dia; receita essa que daria para alimentar facilmente toda a população pobre de Itapeva e das cidades vizinhas por várias semanas.

Lembremo-nos das palavras de Paulo aos Gálatas “Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus! (Gal 5, 17-21) – Será que Paulo descreveu o programa todo ou ainda falta algo?

Esse programa, creio eu, deveria possuir quatro letras: BBBB, onde o 4º B seria referente ao “b” que está do outro lado da tela perdendo seu tempo e seu dinheiro assistindo o programa e votando.


Autor: Everton do N. Siqueira
Comentários

Compartilhe na Rede

Twitter Delicious Facebook Digg Favorites Stumbleupon More