sábado, 7 de maio de 2011

Dúvidas sobre a Fé - Pergunta sobre Missas semanais e dominicais.

Nome: Anônimo (O autor da pergunta não autorizou a divulgação do seu nome)

Dúvida - Gostaria de saber a diferença entre a Missa Dominical e a Missa dos outros dias da semana. Porque a Missa de Domingo é obrigatória e as outras não? Gostaria de me aprofundar mais neste assunto até mesmo para poder responder quando questionada.

De princípio, agradeço a confiança depositada em nós, que, em nossa miséria humana, recorremos sempre à grandeza espiritual da Nossa Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, para tentar esclarecer as dúvidas que nos são apresentadas da melhor forma que nos for possível.

Em todos os dias, a qualquer horário, o sacrifício é o mesmo: "é um verdadeiro e próprio sacrifício, no qual, imolando-se incruentamente, o sumo Sacerdote faz aquilo que fez uma vez sobre a cruz, oferecendo-se todo ao Pai "(Mediator Dei, nº 61).


"Não há dúvida que a Eucaristia dominical não possui, em si própria, um estatuto diferente daquela que se celebra em qualquer outro dia, nem pode ser separada do conjunto da vida litúrgica e sacramental.(Dies Domini, nº 34)"


Assim, percebemos que assistir a Santa Missa, em qualquer dia é uma devoção belíssima, pois "A celebração da Missa, como ação de Cristo e do povo de Deus hierarquicamente ordenado, é o centro de toda a vida cristã tanto para a Igreja universal como local e também para cada um dos fiéis. Pois nela se encontra tanto o ápice da ação pela qual Deus santifica o mundo em Cristo, como o do culto que os homens oferecem ao Pai, adorando-o pelo Cristo, Filho de Deus.(Instrução Geral para o Missal Romano, nº 16)."

No entanto, o Terceiro Mandamento (Guardar Domingos e Festas) nos obriga a assistir a Santa Missa Todos os Domingos.

"Cân. 1247 No domingo e nos outros dias de festa de preceito, os fiéis têm a obrigação de participar da missa;

"O primeiro mandamento da Igreja ("Participar da missa inteira nos domingos e outras festas de guarda e abster-se de ocupações de trabalho")ordena aos fiéis que santifiquem o dia em que se comemora a ressurreição do Senhor e as festas litúrgicas em honra dos mistérios do Senhor, da santíssima Virgem Maria e dos santos, em primeiro lugar participando da celebração eucarística, em que se reúne a comunidade cristã." (Catecismo da Igreja Católica §2042)

"O nosso tempo, como nós mesmos, pertence a Deus. Mas Deus e sua Igreja são muito generosos para conosco. Dão-nos seis dias em cada sete para nosso uso, um total de 144 horas em que trabalhar, distrair-nos e dormir.A Igreja é muito generosa mesmo com o dia que reserva para Deus. Do que pertence totalmente a Deus, pede-nos somente uma hora (e nem sequer completa): a que se refere para assistir ao santo Sacrifício da Missa: As outras 23, Deus nos-las dá de volta para nosso uso e descanso; agradece que destinemos mais tempo exclusivamente a Ele e ao seu serviço, mas a única obrigação estrita em matéria de culto é assistir à Santa Missa aos domingos e festas de guarda. Na prática, temos, pois, obrigação de reservar para Deus, como algo seu, uma hora das 168 que Ele nos dá em cada semana.


Se tivermos isto em conta, compreendemos a razão pela qual faltar à Missa dominical deliberadamente é um pecado mortal." (A Fé explicada - Trese, Padre Leo J. - Editora Quadrante)

O domingo, por ser o Dia do Senhor, é o dia em que somos obrigados a participar da Santa Missa.Por isso, nenhuma missa que assistamos nos outros dias satisfaz ao preceito estabelecido pela Igreja e pelo Terceiro Mandamento.Claro que podemos (e é muito bom e recomendável que se vá) ir às Missas todos os dias, no entanto, nenhuma pode "substituir" a missa dominical, na qual, além de devoção, é também obrigação do cristão, dela participar.

Temos que reparar no detalhe que temos a obrigação de participar da missa INTEIRA.

Omitir alguma parte importante da Missa será quase o mesmo que omitir a Missa toda, e o pecado será mortal; já a omissão de alguma parte menor da Missa é pecado venial.

A obrigação é assistir a Santa Missa, não apenas fisicamente, mas também mentalmente. Não adianta ir ao templo, estar na assembléia e ficar conversando com quem está ao lado ou mexendo no celular.Assistir a Missa toda nesse estado (corpo presente, e fazendo outra coisa alheia ao sacrifício) constitui um pecado mortal. Uma distração pequena e involuntária (ex: uma mosca pousa no meu nariz) não constitui pecado, já uma distração voluntária ou falta de atenção deliberada (ex: ficar olhando para quem está à frente, sorrindo e acenando para os conhecidos, ou não se esforçar para prestar atenção ao que acontece no altar) constitui um pecado venial.

Convém lembrar que, o atual Código de Direito Canônico (Cân 1248 - § 1) prevê que a Santa Missa Dominical, por questões pastorais, pode ser antecipada para a tarde de sábado, e assim, mesmo celebrada no sábado, trata-se de uma Missa Dominical, e quem dela participa cumpre o preceito do terceiro mandamento e do primeiro mandamento da Igreja. Assim, no sábado à tarde, um padre pode "optar" por celebrar a liturgia de sábado, ou a liturgia de domingo adiada para a tarde de sábado; no segundo caso cumpre o preceito, no primeiro não.

Em nossa paróquia(Nossa Senhora da Piedade / Itapeva-SP), as duas Missas celebradas no dia de sábado, às 15 horas e às 19 horas são Missas Dominicais, então, quem assiste a uma delas, cumpre o preceito tanto quanto àquele que assistiu uma Missa no Domingo.

Além dos domingos, também somos obrigados a assistir a Missa Inteira nos seguintes dias (ou na sua véspera, conforme explicado acima):

Natal, Corpus Christi, Imaculada Conceição e a Solenidade da Santa Maria Mãe de Deus (1º de Janeiro).

Outros dias de preceito (Epifania, Ascensão, Assunção, Todos os Santos e São Pedro e São Paulo) no Brasil, com autorização da Santa Sé, são transferidos para o domingo seguinte. Também com a autorização da Santa Sé, em nosso país, a Solenidade de São José não é dia de guarda.

Não se comete um pecado quando deixa-se de ir à missa por alguma obrigação ou impedimento como por exemplo: cuidar de um familiar enfermo, de um bebê ou a própria pessoa estar enferma, é por isso que nunca vemos pessoas chegando de maca ou carregadas para assistir à Santa Missa.

Outros exemplos são as pessoas que moram muito longe (zona rural por ex), onde, pela falta de sacerdotes, não é celebrada a Missa aos Domingos, ou mesmo alguma viagem para algum ponto remoto ou deserto e que não haja um templo católico com a Celebração da Missa por perto.

Em ambos os casos de real impossibilidade, o fiel deve santificar o domingo com outras formas de devoção (o terço, oração em família, ler o Evangelho, Celebração da Palavra, etc)

Pequenas distâncias não nos impedem de ir à Santa Missa: uma pessoa, consciente da importância do Domingo e da Santa Missa, facilmente é capaz de andar (mesmo a pé) alguns quilômetros afim de chegar numa igreja e assistir a Santa Missa.

O fato de não ter missa num horário em que você foi à Igreja achando que teria (num domingo), e ao invés disso estiver ocorrendo a Celebração da Palavra, com um MECE, também não cumpre o preceito; nesses casos, o fiel é obrigado a procurar outra paróquia próxima que tenha a Santa Missa naquele domingo, ou voltar mais tarde na mesma paróquia e assistir a Santa Missa Inteira.

Para finalizar, alerto sobre uma confusão que acontece muito freqüentemente:

A Igreja diz que devemos assistir a Santa Missa aos domingos e festas de guarda, no entanto ela não nos obriga a comungar em todos os domingos.Se estou em estado de pecado mortal, não posso comungar enquanto não procurar o Sacramento da Confissão; é muito melhor participar da Santa Missa e não comungar, do que fazer uma comunhão indevida e cometer um pecado de sacrilégio.

Espero ter esclarecido um pouco da dúvida.

Recomendo a leitura da Dies Domini que explica melhor sobre o Domingo.

Everton do N. Siqueira
Comentários

Compartilhe na Rede

Twitter Delicious Facebook Digg Favorites Stumbleupon More