quarta-feira, 20 de junho de 2012

O diabo veste calça?


Tenho visto em alguns meios "católicos" que se intitulam conservadores a censura de que a mulher use calças. Para isso, usam desde textos escritos por alguns bispos (que obviamente tem seu valor, desde que interpretadas da maneira correta dentro do contexto que o bispo escreveu) até passagens bíblicas que, como sabemos, interpretadas de forma errônea podem afastar os fiéis da Verdade ensinada pela Igreja.

Algumas mulheres, depois de serem julgadas pela "seita da saia" (outro nome para a Quarta Pessoa da Santíssima Trindade) acabam desesperando da salvação pois, para esses o uso da calça é um "pecado que brada o céu", tão terrível ou talvez até pior que um assassinato ou um adultério...Mas será mesmo que mulheres usando calças é um pecado tão terrível assim? Aliás, será mesmo que é proibido que as mulheres usem calças?



Analisemos por tópicos: 
1- Toda calça feminina é provocante?

A menos que seja um homem palhaçófilo, que, por algum motivo, fique doidinho quando vê uma mulher fantasiada, o argumento de que "toda calça é provocante" cai por terra somente nesta foto. Se uma mulher usar isso perto de mim vai provocar no máximo um ataque de risos.

2 - Então somente calças bregas e ridículas são lícitas?


Uma vez que a primeira foto definiu de forma infalível que nem toda a calça provoca (provocou risos apenas, mas rir não é pecado, estamos falando de desejos sexuais), passamos à próxima etapa. A foto acima não é brega nem ridícula. E aí?Ficou com o pipi duro olhando a foto?Não né?A menos que você seja um adolescente tarado em momentos críticos, mas aí é outra história, já que esses costumam ficar excitados até quando vêem uma muçulmana de burca.

3 - Nossa Senhora não usava calças...

Ta bom, concordo, mas ELA TAMBÉM NÃO USAVA SAIAS NEM VESTIDOS!

Era costume, naquela época que as mulheres usassem mantos e também um véu. Fazia parte da CULTURA e da ÉPOCA em que ela vivia... Isso serve claramente para entender que as roupas são CULTURAIS pois se houvesse uma "definição da Igreja sobre que roupa usar" essa definição já teria sido feita logo no início do cristianismo, como foi feito sobre outros assuntos. Imagine por exemplo a heresia dos "calçolatras", onde bispos estimulavam as mulheres a usarem calças e isso causava divisão na Igreja ainda em nascimento, então o papa convocaria um Concílio dizendo de forma definitiva (que valeria até hoje) que "mulheres não podem usar calças."... Mas porque tal "heresia", tal Concílio e tal "definição da Igreja" não existiu?Simples: Porque as formas se vestir são adequadas às épocas e às culturas.

Um exemplo:


Se usar calças fosse pecado para a mulher, usar saias (ou kilts) seria pecado para o homem, mesmo os escoceses e a Igreja NUNCA se pronunciou contra o uso de kilt pelos escoceses. Claro que, aparecer usando um desses aqui no Brasil, seria NO MÍNIMO ridículo, a menos que seja uma colônia escocesa, uma festa, mas aí é outra história... Na Escócia é normal o uso de kilts, no Brasil NÃO. Da mesma forma, SIM, é possível que em algum país ou região do mundo afora o uso de calças pelas mulheres seja realmente pecado, talvez nem tanto por ser "provocante" mas por ir contra a cultura, aqui no Brasil NÃO é, quando usada de forma modesta e dentro dos limites. (Não queiram imaginar uma calça branca colada na bunda).

4 - Cardeal Siri:

Como não estou afim de CTRL+C - CTRL+V, segue um link que explica sobre o assunto - Clique e leiam, pois a preguiça é um dos pecados capitais haha.

http://feminaonline.blogspot.com.br/2010/03/d-estevao-bettencourt-osb-e-as-calcas.html

5 - É do coração ...

Não vou entrar aqui na discussão de moda ou de competição como "saia é mais bonito do que calça" porque isso é questão de GOSTO PESSOAL. A Igreja não determina por exemplo que devemos preferir arroz à macarronada, ou que time devemos torcer, assim ela também não vai determinar se você precisa usar calças, saias, arcos no cabelo, seu penteado,tipo de maquiagem ou a cor da sua meia. A Igreja determina princípios, onde um dos mais importantes é "não provocar desejos impróprios a outrem" , por isso trabalhar de calcinha e sutiã seria pecado, obviamente, mas jamais determinaria que usar mangas de blusas com mais de 15cm seria pecado, isso seria absurdo "porque é do coração que provêm os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as impurezas, os furtos, os falsos testemunhos, as calúnias". (Mt 15,19).

Como a Igreja poderia determinar isso, se o "coração" (leia-se pensamento) de cada pessoa varia conforme a época, cultura, histórico de vida, fatores psicológicos, etc? Para mim uma manga de 14,99cm pode ser provocante, para outrem pode não ser, em uma igreja (cujo ambiente pede mais recato) essa manga de 14,99cm pode distrair um fiel do sexo masculino do seu único objetivo ali (o altar), mas na praia, se alguém fica com a barraca armada ao ver uma mulher com calças ou mesmo com uma camiseta com mangas de 14,99cm, é melhor que procure um médico urgente e vá se tratar.

Até mesmo o clima pode modificar a forma de se vestir, ou alguém quer que uma mulher use cacharrel, saias longas até os pés em pleno 40º de Salvador? Não estamos falando que o clima seja "justificativa" para andar pelada ou de mini-saia, mas somente para refletir sobre a questão dos princípios e dos fatores determinantes para a vestimenta que devemos usar. Seria pecado ir à Santa Missa com a camiseta do Corinthians, mas certamente que não é assistir um jogo do "timão" com essa mesma vestimenta.

Sobre isso, escreve o Beato João Paulo II em seu livro Amor e Responsabilidade:

“Já que a roupa é considerada em relação ao problema do pudor e do impudor, talvez seria proveitoso considerar o seu papel funcional. Pois, assim como há certas situações objetivas, nas quais até a total nudez do corpo não é impudica, porque a função própria desta nudez não é provocar nenhuma reação a respeito da pessoa como objeto de uso, assim também com certeza há várias funçnoes das várias maneiras de vestir-se ligadas `a parcial ou total nudez do corpo, por ex., no trabalho físico, durante o calor, no banho, perante o médico. Tratando-se de qualificar moralmente a maneira de vestir-se, é preciso partir da variedade de funções, `as quais a roupa deve servir. Não deve considerar-se impudica a pessoa que usa determinada roupa, mesmo que apareça a nudez parcial, se realiza uma função objetiva. No entanto, seria impudico o uso de tal roupa for a de sua própria função, e assim também deve ser percebido. Por exemplo: não é contrário ao pudor tomar banho de maiô, mas sê-lo-ia usá-lo na rua ou na avenida.”

Para fechar como chave de ouro o artigo, trago uma citação da Suma Teológica do Doutor da Igreja, São Tomás de Aquino:

"O ornamento deve corresponder principalmente ao modo e à condição da pessoa que o usa, e também à intenção. Se uma mulher porta ornamentos que condizem com sua condição e dignidade, para que assim que se apresente adequadamente segundo o costume de sua pátria, será ato correspondente à virtude denominada modéstia, que põe justa medida na apresentação pessoal, no vestir-se e nos gestos; e pode ser meritório, se feito com graça.”


Autor: Everton do N. Siqueira
Comentários

Compartilhe na Rede

Twitter Delicious Facebook Digg Favorites Stumbleupon More