sexta-feira, 4 de julho de 2014

Os cinco defeitos de Jesus

Autor: Cardeal Francisco Xavier Nguyen Van Thuan.  (Livro: Testemunhas da Esperança)
O primeiro ‘defeito’ de Cristo é sua falta de memória:
No calvário, no auge da indescritível agonia, Jesus ouve a voz do ladrão da sua direita: “Jesus, lembra-te de mim quando estiveres em teu reino” (Lc 23, 43). Se fosse eu teria respondido: “Não vou esquecê-lo, mas os crimes seus devem ser pagos por longos anos no purgatório”. No entanto, Jesus respondeu-lhe: … “hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23, 43). Jesus esqueceu todos os crimes desse homem.
Semelhante atitude Jesus teve com a pecadora que banhou os seus pés com perfume…Não faz nenhuma pergunta sobre seu escandaloso passado. Simplesmente diz: “seus inúmeros pecados estão perdoados, porque muito amor demonstrou” (Lc 7, 47).
Na parábola do filho pródigo Jesus ensina que este, no caminho da volta, preparou-se interiormente, para dizer: “Pai pequei contra o Céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado de teu filho. Trata-me como um dos teus empregados” (Lc 15, 18-19). Mas o pai avistando-o. E, não lhe dando tempo para a sua fala, dirige-se aos empregados desconcertados: “Ide depressa, trazei a melhor túnica e revesti-o com ela, coloque um anel no dedo e sandálias nos pés. Trazei o novilho cevado, matai-o; comamos e festejemos, pois, este meu filho estava morto e tornou a viver” (Lc 15, 22-24).
A memória de Jesus não é igual à minha; ele não só perdoa, e perdoa a todos, mas esquece até mesmo que perdoou”…
Segundo ‘defeito’ de Cristo: Ele não sabe matemática. 
Se Jesus tivesse se submetido a um exame de matemática, por certo teria sido reprovado. Demonstra a parábola da ovelha perdida “Um pastor tinha 100 ovelhas. Uma se extravia. Ele, imediatamente, deixa as 99 no redil e vai em busca da desgarrada.. Reencontra-a, coloca-a no ombro e volta feliz (cfr. Lc 15, 4-7).
Para Jesus, uma pessoa tem o mesmo valor de noventa e nove e, talvez, até mais. Quem aceita tal procedimento? Sua misericórdia se estende de geração em geração.
Quando se trata de salvar uma ovelha, risco nenhum o desencorajou. contemplamos seus gestos cheios de compaixão ao sentar-se junto ao poço de Jacó a dialogar com a Samaritana, ou então quando se autoconvida para visitar a casa de Zaqueu. Simplicidade que ignora cálculos e não cabe em nenhum cálculo…
Terceiro ‘defeito’: Jesus desconhece a lógica.
Uma mulher possuía 10 dracmas. Perdeu uma. Acende a lâmpada; varre a casa… procura até encontrá-la. Quando a encontra convida suas amigas para partilhar sua alegria pelo reencontro da dracma… (Lc 15, 8-10)… de fato , não tem lógica fazer festa por uma dracma gostar mais do que as 10 dracmas juntas… O coração tem motivações que a razão desconhece… Jesus deu uma pista… O coração tem motivações que a razão desconhece… Jesus deu uma pista: “Eu vos digo que haverá mais alegria diante dos anjos de Deus por um só pecador que se converte…” (Lc 15, 10).
Quarto ‘defeito’: Jesus é um aventureiro:
Executivos, pessoas encarregadas do “Marketing das empresas”, levam em suas pastas projetos, planos cuidadosamente elaborados. Os candidatos a cargos eletivos nunca esquecem suas “listas de promessas”. Em todas as instituições, organizações, civis, religiosas não faltam programas prioritários; objetivos, estratégias…
Nada semelhante acontece com Jesus. Humanamente analisando seu projeto está destinado ao fracasso.
Aos Apóstolos, que deixaram tudo para segui-lo, ele não garante sustento material, casa para morar, somente partilhar do seu estilo de vida.
A um desejoso de unir-se aos seus, desponte: ” As raposas tem tocas e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mt 8, 20).
A página do Evangelho que elenco as bem-aventuranças, é um verdadeiro auto-retrato de Jesus aventureiro do amor ao Pai e aos irmãos, é um paradoxo do início ao fim, embora estejamos acostumados a proclamá-la:
Bem-aventurados os pobres de espírito(…) terão o Reino de Deus…
Felizes os que choram porque serão consolados..
Felizes os mansos…receberão a terra em herança…
Felizes os que tem fome e sede de justiça… serão saciados…
Felizes os misericordiosos… alcançaram misericórdia…
Felizes os puros(…)verão a Deus.
Felizes os que promovem a paz(…) serão filhos de Deus.
Felizes sereis vós quando vos injuriarem, perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus (…) (Mt 5, 3-12).
Os 12 confiaram neste aventureiro. Milhões e milhões de outros igualmente. Já vão lá mais de 2 mil anos e a incalculável multidão de seguidores continua a peregrinar. Galerias enormes de santos e santas, bem-aventurados, heróis e heroínas da aventura. No Universo inteiro esta abençoada Romaria continua, neste mundo tão dilacerado e adverso a cessas coisas, a marcar presença… Vai que este aventureiro tem razão…? Neste caso a mais fantástica viagem na “contramão” da história será a verdadeira…! A quem iremos”?…
Quinto ‘defeito’: Jesus não entende nem de finanças nem de economia:
e Jesus fosse o administrador da empresa, da comunidade, a falência seria uma questão de dias. Como entender um administrador que paga o mesmo salário a quem inicia o trabalho cedo e a outro que só trabalha uma hora. Um descuido? Jesus errou a conta? Pelo dito nada disso houve. Jesus mesmo explica: ” Não tenho o direito de fazer o que eu quero com o que é meu? Ou o teu olho é mau porque eu sou bom”? (Mt 20, 1-15).
Por que Jesus tem esses defeitos? Porque é o Deus da Misericórdia e Amor Encarnado. Deus Amor (cfr. 1Jo 4, 16) Portanto, não Amor racional, calculista, que condiciona, recorda ofensas recebidas Mas sim Amor: doação, serviço, misericórdia, perdão, compreensão acolhida… em que medida? Infinita.
Os defeitos de Jesus são os caminhos da felicidade. Por isso damos graças a Deus. Para Alegria e esperança da humanidade esses defeitos são incorrigíveis.
“Se tiveres fé, verias a potência do meu Coração”. Jesus à Santa Margarida Maria Alacoque”
Diante disso, poderíamos nos perguntar o porquê que Jesus tem estes “defeitos”?
-Por que Ele é amor. Seu amor incondicional supera qualquer coisa. Não há medida no amor de Cristo. Falar de ‘defeitos’ de Cristo pode parecer estranho para quem não entende sua vida, mas oxalá pudéssemos ter estes “defeitos” para a ótica humana, mas nova perspectiva para a ótica Divina.
Comentários

Compartilhe na Rede

Twitter Delicious Facebook Digg Favorites Stumbleupon More